2 anos

de sucesso no mundo do samba

barbie bahiana 2)A nova versão nacional das bonecas Barbie, dessa vez chamada “BARBIE BAIANA”, em homenagem às baianas – mulheres/símbolos da culinária africana nas ruas de Salvador e Rio de Janeiro – e integrantes de alas de baianas das escolas de samba carioca - , representa uma afirmação étnica.

Em outras palavras: o reconhecimento de fora de uma estética negra presente em diversas regiões do país. Outro fator é que essa nova versão da boneca fortalece o fato de existir famílias negras no país, bem estáveis, fato negado pelas ideologias raciais, em muitas ocasiões.

O novo formato da boneca mais vendida do mundo se baseou neste modelo  feminino devido à grande exposição  das baianas do acarajé e das escolas de samba na mídia de todo o mundo.

A “Barbie Baiana” já está sendo vendida nas lojas brasileiras.

Recentemente, o próprio Brasil, no encerramento das Olímpíadas, em Londres,  ao revelar os valores culturais da próxima cidade a sediar os Jogos (Rio de Janeiro 2014) se baseou praticamente na cultura afro.

Isso prova o reconhecimento da contribuição africana no país.

 “Barbie Baiana” vai custar R$ 150, 00 e deverá fazer sucesso entre as meninas pretas e pardas brasileiras. Segundo a Mattel, fabricante do brinquedo,  trata-se de uma homenagem ao Brasil, país com maior população afro do mundo depois da Nigéria.

Negra, cabelos cacheados, vestido de renda e colar de contas, ela é bem diferentes da maioria das bonecas lançadas pela fabricante Mattel em todo o mundo. “BARBIE BAIANA” vem com uma bandeja de cocadas, um passaporte e faz parte da coleção Dolls of the World (Bonecas do Mundo), que reúne bonecas de vários países do globo, entre eles Holanda, Índia, Chile e México.

De acordo com especialistas em indústria infantil, a Mattel ficou atenta ao crescimento econômico brasileiro e sua reinserção internacional como um dos líderes do chamado grupo dos Bric (Brasil, Rússia, Índia, China e África  do Sul). Ao analisar o perfil populacional brasileiro, a empresa percebeu a força/penetração da cultura afrobrasileira.

Assim, ao lançar a boneca, viu na baiana, o tipo ideal de mulher brasileira para o novo brinquedo.

O projeto – lançamento da “Barbie Baiana”- levou em conta o fato de o  Brasil estar próximo de sediar dois grades eventos internacionais (Copa do Mundo 2014 e Jogos Olímpicos 2016), que vão atrair a atenção de todo o mundo.

Essa não é a primeira homenagem da Mattel ao Brasil.

No passado, o Brasil já servira de fonte de inspiração para a fabricante de “Barbie”.

Em 1990, a “ Brazillian Barbie”  usava fantasia de carnaval. Já era um prenúncio que a empresa estava querendo namorar a simbologia étnica e adaptá-la ao  padrão Barbie Já,  em 2009,  a nova boneca foi batizada como “Amazônia Barbie”, inspirada nas tribos indígenas e na biodiversidade amazônica.


Além da “Baiana Barbie”, a Mattel ficou atenta às divas negras ou aos símbolos femininos negros espalhados pelo mundo. Nos anos 1990, não teve jeito, a empresa pagou altos cachês para reproduzir a Barbie com os corpões de dois ícones do mundo pop afro-americano: as cantoras Diane Ross e Wthiney Houston autorizaram que  seus encantos étnicos de adaptassem aos padrões das  linhas “ Barbie Ross” e “Barbie Houston”.

A coleção “Dolls of the World” conta com 82 bonecas, divididas em categorias, como, África, América do Norte, América do Sul, Ásia, Austrália, Europa, Festivais, Princesas e Ícones de Cidades, criadas especialmente para colecionadores. A primeira boneca desta linha foi lançada, em 1980, se chamava “Royal U.K. Barbie”.

No mesmo ano foram lançadas a “Parisian Barbie” e a “Italian Barbie”. Só, em 2012, já foram lançadas dez bonecas nas versões irlandesa, chinesa, australiana, argentina, mexicana, indiana, holandesa, chilena, havaiana e brasileira.

Barbara Millicent Roberts, a boneca Barbie, é um popular brinquedo infantil, cuja criação data de 9 de março de 1959m  em Nova Iorque, nos Estados Unidos. Ela foi criada pelo casal Ruth e Elliot Handler  

Os dois  tinham uma filha de nome Barbara.

Observavam que a filha brincava apenas com bonecas bebês quando criança. Quando a menina se tornou adolescente, o pai observou que Barbara ainda brincava com as suas bonecas. Então, a sua mãe, Ruth Handler, teve a ideia de criar uma boneca adolescente.

Encomendada ao designer Jack Ryan, em 1958, a boneca foi lançada Ruth e Elliot pela empresa deles, a Mattel  onde a Barbie foi fabricada. A boneca foi vendida a US$ 3 dólares, e o primeiro lote vendeu as 340.000 bonecas.

Sucesso.

Que continua até hoje.

História e memórias de baianas das escolas de samba