2 anos

de sucesso no mundo do samba

1899969 10200866439017929 1198095249 nEm 2014, teremos 450 anos do acordo histórico entre um índio e um europeu que permitiu o surgimento das cidades do Niterói e Rio de Janeiro.

Esse acordo foi firmado, em 1564, entre o cacique dos Termiminós, Arariboia (cobra feroz ou cobra da tempestade. de acordo com linguística de sua etnia), e Mem de Sá, terceiro governador-geral do Brasil.

Neste acordo, Arariboia e sua tribo se uniam aos portugueses para expulsar os franceses da Baia de Guanabara.

Em troca, os portugueses acenavam com vários benefícios para os Termiminós.

Os invasores franceses, no entanto, contavam com aliados poderosos, os Tamoios, que tinham mais 70 mil guerreiros.

Arariboia, durante a invasão francesa, em 1555, perdeu suas terras, e saiu batido com sua gente para o Espírito Santo, onde, lá, acabou expulsando holandeses, e com isso reorganizou sua aldeia clássica, e se tornou um símbolo de resistência.

Com a chegada de Mem de Sá ao Rio de Janeiro com a missão de expulsar os franceses, este estabeleceu uma aliança com o cacique Termiminós para juntos combater o inimigo comum, ou seja, os invasores franceses que tinha os Tamoios como aliados.

Arariboia achou exequível a proposta, pois, agora, contaria com apoio militar português, pois, vinha sofrendo, com a aliança franceses/tamoios, que o exilaram para o Espírito Santo.
Neste sentido, Arariboia forneceu um contingente de cerca de 7 mil índios com conhecimento preciso da região da Baía de Guanabara.

Com esse valioso apoio, os portugueses e os Termiminós expulsaram os franceses, humilharam os Tamoios e fundaram a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, em 1565, agora com Estácio de Sá, sobrinho de Mem de Sá.

Ou seja, se não fosse o apoio de Arariboia, o Rio não teria sido fundado.
O índio Termiminó, assim, se consagra como provocador da fundação do Rio de Janeiro.

Pelos serviços prestados, o rei de Portugal deu-lhe o posto de capitão-mor de sua aldeia e agraciou-o com o título de Cavaleiro da Ordem de Cristo.

Ele converteu-se ao cristianismo e adotou o nome de Martim Afonso em homenagem a Martim Afonso de Sousa.

Araribóia estabeleceu-se com seus índios numa aldeia do monte de São Lourenço que pertencia à sesmaria de Niterói (“água escondida” na língua Tupi), onde hoje é a cidade de Niterói.

Assim, com seu povo, acabou estabelecendo uma comunidade e sendo fundador de Niterói, cuja origem, basicamente, é indigena.

Em épocas recentes, historiadores e memorialistas tentaram resgatar a figura do grande cacique Arariboia, o primeiro herói étnico brasileiro.

Quiseram criar um roteiro geográfico-arquitetônico, em Niterói, cujo nome deram de “Caminho Arariboia”.

O “Caminho Araribóia” teria aproximadamente 150 quilômetros, com fortes, subidas e acentuadas descidas, além de muito chão arenoso margeando a costa.

A todo o momento, poderia se ver paisagens típicas que são verdadeiros

História e memórias de baianas das escolas de samba