2 anos

de sucesso no mundo do samba

JoaosinhoTrintaParticipação

A escola de samba (...) exige uma participação física da pessoa, uma participação de voz, de movimento, quer dizer, todo o ser humano acontece. Ainda tem mais: a escola de samba tem vários enfoques. Ela requer ou engloba vários interesses, como a pesquisa, por exemplo. Para fazer um enredo é preciso pesquisar, daí a ala dos compositores acabar tendo uma cultura enorme, porque eles, na procura de dados para fazerem sambas totalmente diferentes uns dos outros, vão para bibliotecas, vão para vários lugares e acabam tendo um cabedal de conhecimentos muito grande. Tanto que eles gostam muito e dizem, é uma verdade, que samba é cultura.

Leia mais: A ESCOLA DE SAMBA POR JOAOSINHO TRINTA

DonaEstherHá quem diga que sem ela não teria existido a GRES Portela.

Sim, uma mulher branca, pode ter sido a responsável pelo surgimento da mitológica escola de samba de Madureira.

Pelas pesquisas de Lygia Santos e Marília Barboza da Silva ( “ Paulo da Portela: traço de união entre duas culturas”, RJ, Funarte, 1980) , Dona Ester, ou Esther Maria Rodrigues ( 14-2-1896/22-12-1964), era bonita, sagaz e inteligente, e casada com um negro, Euzébio Rocha.

O casal se mudou para Oswaldo Cruz, em 1921.

Leia mais: TIA CIATA DE OSWALDO CRUZ

TiaEsterPaulodaPortelaEla teria sido batizada de Ester Maria de Jesus. Para alguns, era Ester Maria de Rodrigues. Ela era mulher de Euzébio Rocha. O casal saía no “Cordão Estrela Solitária”, de baliza e porta-estandarte. Ao chegarem a Oswaldo Cruz, na zona norte do Rio de Janeiro, no início do século XX, foram morar inicialmente na Rua Joaquim Teixeira, quando fundaram o bloco “Quem Fala de Nós Come Mosca”.

Leia mais: DONA ESTER:  UMA PIONEIRA DA PORTELA

SulamitaA mulher negra, na Bíblia, tem como símbolo, Sulamita, ou a Rainha de Sabá, que manteve intenso amor com Salomão, cujo relacionamento é descrito em detalhes em " O Cântico dos Cânticos".

 O casal gerou Menelik I, aquele, que, mais à frente, recebe a tarefa mítica de conduzir a Arca da Aliança para Etiópia, onde o cristianismo nasceu e se fortaleceu e depois se espalhou pelo mundo.

Foi uma jornada paradigmática, sem paralelo na história afrorreligiosa.

Assim, o maior poema de amor entre duas pessoas ( Sulamita-Salomão) tem uma transversalidade afro, ou seja, na presença de Sulamita irradiando sua beleza/dominação afro em relação a outro ser. Ela, por conseguinte, é de beleza inconteste, envolvente.

Leia mais: O ROMANCE ENTRE SALOMÃO E UMA NEGRA 

tiacarmen"Tia Carmem era a última das grandes iabas que atravessaram o século, assegurando a representatividade da chamada Pequena África, encravada no coração do Rio de Janeiro, que é a Praça Onze. Tia Carmem tinha recordações e lembranças presentes daquelas casas de Tia Prisciliana, de Tia Cecília, de Tia Ciata, tias com as quais ela conviveu e que eram o grande consulado da África de pés no chão, aqui no Centro do Rio de Janeiro, no final do século 19 e início do século XX." Jose Carlos Rego

Este perfil traçado pelo jornalista e sambista José Carlos Rego dá o tom geral da vida de CARMEM TEIXEIRA DA CONCEIÇÃO( 1878-1988) a Tia Carmem do Xibuca, uma das primeiras integrantes da ala de baianas da Estação Primeira de Mangueira.

Leia mais: Tia Carmem, a tradição da Praça Onze

História e memórias de baianas das escolas de samba